(11) 2579-3574 [email protected]

Notícia importantíssima para nossos clientes e produtores.

Ontem, dia 12/12 foi aprovado em 2ª instância um projeto de lei que busca oficializar a produção de queijos artesanais, organizando as produtoras como agroindústrias de pequeno porte, isso tornará possível que variedades diferentes de queijos artesanais sejam produzidas, o que amplia o reconhecimento dessa produção para além do tipo de queijo denominado Minas Artesanal de Casca Lavada (cujo a lei o limita a sua forma mais básica, não podendo sequer fazer variações dele).

Além disso, esse projeto permitirá que tipos diferentes do produto alimentício sejam definidos pelo Poder Executivo, ou seja, poderão ser produzidas variedades de queijos (assim como o parmesão) e além disso estes poderão receber a adição de ingredientes, contanto que não haja nenhuma alteração na qualidade do produto final. Também tem se estudado a possibilidade do produtor de queijo adquirir leite produzido fora de sua propriedade (isso só para os casos de queijo que o regulamento permitir sua produção).

Pra quem não sabia, a produção de queijos artesanais sofre com uma série de imposições por parte do Poder Legislativo, isso por se tratar de um alimento feito de leite cru, o que faz com que seus processos sejam diferenciados e criteriosos, zelando pela qualidade e higiene de sua matéria prima. Tudo para que o alimento seja saudável, nutritivo e seu consumo não nos faça mal. Dentro dos processos de fabricação do queijo, o projeto procura reconhecer a “afinação”, que se aprovado permitirá que os queijos possam ser alterados após seu fornecimento; a “afinação” é feita com técnicas específicas, para que o mesmo ganhe novas características além de suas originais.

A adequação da produção artesanal de queijos já é uma reivindicação antiga dos produtores de queijo na região de Minas Gerais, ja que no estado há muita fabricação do mesmo de forma tradicional, e esse processo estava a margem da legislação segundo Glenio Martins, presidente da Emater-MG.

A proposta é obter mais oportunidades de mercado e negócios, estimulando a diversificação dos queijos e incentivando seus produtores.

O Projeto de Lei 4.631/17 é autoria do governador Fernando Pimentel (PT) e sua aprovação foi feita nesta terça-feira em Reunião Extraordinária na Assembléia Legislativa de Minas Gerais na forma do substitutivo nº 2, do deputado Agostinho Patrus Filho (PV) e permite a produção de variedades do produto “desde que respeitadas as características de identidade e qualidade estabelecidas no regulamento do produto”, agora falta a sanção do governador. Após isso o projeto estará aprovado e funcionando.

Em Minas há o “Programa Queijo Minas Artesanal” e técnicos da Emater prestam assistência para mais de 1.000 produtores de queijo artesanal presentes dentro do estado e incluídos noo Programa. A orientação dos técnicos resume-se em boas práticas agropecuárias, zelando sempre pela manutenção dos rebanhos (mantendo-os sadios), adequação dos curais, higiene durante a ordenha, melhoramentos genético e na alimentação do rebanho.

Tudo depois deve ser transferido para fabricação, processos de produção, adequação das queijarias, higiene, qualidade da água, controle de maturação e também investimentos na qualidade profissional.

O programa, do Governo do Estado, é executado em parceria com o IMA e a Epamig.

Fonte: ALMG

Ascom Emater-MG

Jornalistas: Aline Louise

Contato: 3349-8097

Publicado em: 12/12/2018